sábado, 7 de maio de 2016

O que queremos do nós?


Meu terapeuta sempre me pergunta o que eu sinto por você, como eu me sinto em relação a você, e minha resposta é sempre "não sei". Meus sentimentos sempre foram confusos, mas quando envolvem você a coisa se intensifica muito - a ponto de eu nunca conseguir entender ou distinguir o que sinto. Dar nome ao que tá apertando meu peito.

Naquele dia que eu te confessei que havia me apaixonado por você senti que estava tirando um enorme peso das costas. Que, depois de ser sincera com você e comigo mesma, seguir em frente seria mais fácil. Mas é tão difícil desapegar e afastar do coração esses sentimentos confusos quando você mesmo faz questão de ficar trazendo eles de volta.

Você cobra carinho, cobra atenção. Sente ciúme. Diz que quer apenas minha amizade. Faz showzinho quando me vê flertando com alguém. Vem me contar dos seus casos com outras. Quando eu falo de como meu ex me deixou com o coração partido, fico no vácuo. Depois ainda tenho que escutar que você é o único que "se esforça" para fazer essa amizade dar certo.

Me desculpa, mas pra mim isso não parece amizade. Isso é um relacionamento confuso e conturbado de duas pessoas que se gostam muito, mas não é amizade. Suas cobranças, minhas cobranças, não são simples cobranças de amigos. Sempre que conto nossas discussões pra algum amigo ou amiga escuto um "eu não entendo o que ele quer de você". Respondo que também não entendo. Acho que preciso criar coragem de te perguntar, afinal, o que é que você quer de mim. Mas, antes, preciso me perguntar o que eu quero de você.

Sempre achei que queria sua amizade, que estava lutando por isso, mas uma amiga me falou num momento de sofrimento "Você gosta dele! Você não quer só a amizade dele. Continuar nesse joguinho é dar um tiro no pé". Meu primeiro impulso foi contradizê-la, afinal, já tenho em meu computador uma pasta chamada "textões" com alguns modelos prontos sobre a temática "porque eu não consigo abrir mão da amizade dele". Sim, vários argumentos bem elaborados inclusive. Mas ai eu parei pra pensar... Sabe que faz sentido? Tudo isso que ela disse, faz sentido sim. Sempre neguei essa possibilidade a mim mesma, mas ouvir dela me fez ter um insight.

Não sei exatamente o que eu quero de você. Sei apenas que eu quero você. Não necessariamente dessa forma que você está pensando. Eu quero você na minha vida, quero você perto de mim. Quero rir com você, trocar textão com você, te falar dos meus problemas e receber suas palavras de conforto e ajuda. Quero dançar cumbia com você, te abraçar, ouvir tua risada. Quero saber de você, dos seus problemas, te ajudar. Quero me sentir íntima de você. Saber seus segredos, seus sentimentos, suas alegrias, tristezas e aperreios do dia-a-dia. Quero receber memes seguidos de "bom dia, e uma semana linda pra você". Sim, quero tudo isso que já temos. Todavia, ainda não consigo identificar se eu querer tudo isso faz eu querer você como amigo ou como homem. Se a gente vai se beijar ou não acho que não importa muito, afinal. Um envolvimento físico seria legal sim, mas nada supera nosso envolvimento emocional. A pergunta é: tem como existir uma coisa sem a outra? Estamos aptos a conseguir isso? Ou devemos desistir?

Mas, então, preciso saber: o que você quer de mim? Aliás, você já parou para pensar o que é que você quer de mim? Perde uns minutinhos aí pensando! Se resolve, que isso facilita nossa vida. Mas seja sincero, não comigo mas com você mesmo. Porque a sensação que eu sempre tenho é de que você tem sentimentos por mim, sentimentos que vão além da amizade. Mas você não se permite isso, não assume para você mesmo essa verdade. Tenta enganar não só a você mas a mim também. E isso não tá dando mais, sabe? Ta causando sofrimento em nós dois. Te adoro, mas, de fato, não dá pra continuarmos assim. Temos que decidir, por fim, o que queremos do nós.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você gostou do post, comenta! Vou adorar saber o que você achou.
Assim que puder responderei seu comentário, e se você deixar o link do seu blog irei retribuir a visita. Obrigada, e volte sempre!

Beijos, Anna