terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Carta à cidade que me enamorou


Querida Recife,

Hoje faz três anos que estamos juntas. Dá pra acreditar? Foram três anos bem difíceis nesse relacionamento de altos e baixos, não vou mentir. Um início um tanto quanto doloroso, em que a saudade me matava; eu me arrastava, dia após dia, segurando as lágrimas. Rezando para que tudo aquilo acabasse rápido e eu pudesse voltar. Pro meu interior, pra minha família, pros meus amigos, pra minha cachorra... pro lugar que eu podia chamar de meu lar. Cheguei perto de entrar em depressão nessa época - meu terapeuta não me deixa mentir!

Ah, Recife! Eu detestava tudo em você: o calor que me fazia acordar de madrugada passando mal; o trânsito que me fazia demorar 1h30min pra chegar em casa (num trecho que geralmente é feito em 15 minutos); as pessoas que não faziam eu me sentir acolhida; o medo constante de ser assaltada a qualquer momento. Eu detestava que a vida me forçasse a morar nessa "cidade terrível". Não que hoje eu não deteste tudo isso, detesto sim. É só que... não sei, mas acho que agora eu consigo enxergar de uma forma diferente.

Ao longo do tempo você me cativou, Recife. Foi me ganhando aos poucos, a cada passeio que eu fazia e ficava encantada pelas ruas do Antigo; a cada pessoa que me sorria, me abraçava e fazia eu me sentir bem nessa cidade gigante e solitária; a cada nova experiência que eu ia vivendo, que me faziam amadurecer. Foi no carnaval que eu me dei conta de que estava apaixonada por você. Ah, o carnaval! sua música, suas cores, sua energia, sua alegria, sua cultura. Agora minha cultura também. Coisas pequenas, bonitas, verdadeiras, que foram se acumulando e me fazendo enxergar a cidade com outros olhos, enxergar a vida aqui com mais leveza. Sim, Recife, aprendi a gostar de você. Não foi fácil, sabe? Sofri muito. Tenho muitas lembranças difíceis e que apertam o coração. Mas tenho muitas lembranças boas também, que levarei pro resto da vida.

Obrigada, querida Recife, por tantas experiências, tantas aprendizagens, tantas belezas, tantas alegrias. Obrigada por me possibilitar viver meu sonho de criar novos sonhos. Me sinto feliz em saber que hoje eu finalmente tenho um bom relacionamento com você, me sinto bem estando aqui (mesmo que a saudade do interior e das minhas pessoas ainda aperte). Sei que você fica triste quando digo que não tenho a intenção de viver aqui pro resto da minha vida, mas sei também que você me entende. Meus sonhos são grandes demais para que eu me prenda a você. Espero apenas que, nesses próximos anos de relacionamento, possamos continuar a proporcionar boas experiências uma à outra.

Com amor,
Anna