sábado, 23 de fevereiro de 2013

Positivo


O desespero começou a preencher lentamente cada célula do corpo de Melissa, enquanto seu olhar estava fixo no objeto que estava em suas mãos, já trêmulas, indicando o que ela tanto temia. Um milhão de coisas se passou pela cabeça dela no momento, e ao mesmo tempo, ela vasculhava a mente à procura de um pensamento coerente se quer e não encontrava nada. Branco total. Como é possível que ao mesmo tempo esteja se passando milhões de pensamentos pela cabeça e a sensação que temos é que nossa mente está parada? Como naquela brincadeira de estátua que ela adorava brincar quando mais nova. Então ela lembrou-se ligeiramente de sua infância, de suas bonecas, das brincadeiras nas tardes ensolaradas depois da escola, as coleguinhas que ficavam disputando quem era mais bonita. Tudo aquilo parecia ter acontecido há apenas alguns dias, mas o objeto que ela tinha em mãos fazia parecer com que já se houvessem passado pelo menos vinte anos desde aquela época. Mas não havia se passado nem cinco anos na totalidade. Então ela começou a pensar, como era possível uma garota de quinze anos estar passando por aquela situação?

E então a resposta surgiu em sua mente, tão rápida como um raio caindo e iluminando todo o céu. O motivo de seu problema era alto, moreno, e dono do sorriso mais lindo do mundo. Não, do universo. Seus olhos cor de mel eram capazes de penetrar-lhe o mais profundo da alma, chegar até a parte mais interior de seu coração, que no momento estava tão pequenino e apertado quanto o apartamento de sua tia Jacinta. O nome de seu problema era Fernando, e ele tinha dezessete anos. Ela começou a lembrar-se de como o havia conhecido, há alguns meses atrás, na festa de carnaval do colégio onde ambos estudam. Ela estava dançando frevo, dança carnavalesca típica de sua cidade, enquanto ele a observava de longe fazer os passos complicados com tamanha facilidade e graciosidade. Pouco tempo depois ele já a estava convidando para ir ao cinema com ele naquele fim de semana. Ela aceitou. Eles foram, conversaram, falaram sobre cada um, comeram pipoca, riram, e na metade do filme ele a beijou. Um beijo demorado e carinhoso, que fez com que o coração dela batesse mais forte. E foi naquele momento que ela se apaixonou.

Ah, como ela era apaixonada por Fernando! Sentia que cada pedacinho do seu corpo o amava, e sentia sua ausência quando eles estavam longe um do outro. Sentia seu coração bater por ele, sentia seu sorriso abri-se por ele. Ela o amava tanto, ao ponto de ceder a todos os desejos dele. Principalmente se na hora de pedir ele usa aquele olhar sedutor, aquele sorriso sexy, e se a sua boca macia e rosada pronunciasse suave e nitidamente as palavras que ela precisava escutar: “Não vai acontecer nada, eu te amo e nunca faria uma coisa dessas com você”. Pronto, era o fim da discussão. Ela já estava jogada aos pés dele, concordando feliz com absolutamente tudo o que ele a propunha.

Mais uma vez ela voltou o olhar para o objeto que tinha em mãos. Pequeno, comprido e fininho. Branco. Cabia em uma única mão, apesar de ela estar segurando com as duas, já que estava trêmula. Aquele objeto fazia com que as palavras de Fernando parecessem tão distantes, como se não tivessem sido pronunciadas no mundo real e sim em seus sonhos. Mas na sua mente era como se fosse o inverso. Como se as palavras de Fernando fossem a única verdade do mundo inteiro, e aquele objeto que ela possuía em mãos fosse uma mera ilusão. Um devaneio que logo iria embora.

Droga Melissa! ela pensou, irritada. Por que você tinha que ser tão boba e acreditar em tudo o que ele diz? Fazer tudo o que ele pede, mesmo conhecendo as possíveis consequências? E lá estava, em suas mãos, a consequência de seus atos impulsivos e não pensados. Ou melhor, lá estava o anuncio da consequência, pois esta se encontrava dentro da barriga dela. E a palavra “positivo” começou a ecoar novamente em sua cabeça, lembrando-lhe do resultado contido no pequeno objeto em suas mãos. Uma lágrima solitária caiu de um de seus olhos, enquanto ela respirava fundo e falava em voz alta, para finalmente aceitar aquilo como uma realidade e não apenas algo de sua cabeça:

— Estou grávida!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Jovens Sarados


Para quem me conhece, não é nenhuma surpresa quando eu digo que sou uma pessoa muito religiosa. Então sim, eu leio livros religiosos e decidi fazer uma resenha deles aqui também, por que se afinal esse blog é pra falar coisas da minha vida, não posso deixar isso de fora.

Tive vontade de ler Jovens Sarados porque foi escrito pelo melhor Padre que eu já tive o prazer de assistir uma missa – mesmo que pela televisão –, Pe. Léo, da Canção Nova. Ele era simplesmente incrível! Tinha um sotaque e vocabulário caipira que fazia você morrer de rir enquanto ele nos pregava a palavra de Deus de uma maneira simples e cotidiana. Ler um livro escrito por ele é uma experiência tão prazerosa quando assistir a uma de suas missas.

A cada parágrafo era como se eu estivesse ouvindo a voz dele falar aquelas coisas no meu ouvido. Eu podia até fechar os olhos e vinha na minha cabeça a imagem dele lá no altar dizendo as palavras que eu tinha acabado de ler. Esse livro possui a essência de Pe. Léo, e para aqueles que como eu possuía uma admiração imensa por este homem é uma ótima maneira de matar as saudades de suas pregações.

O livro Jovens Sarados trata especialmente do mundo das drogas, e vem alertar aos jovens os perigos do consumo e também mostrar uma nova saída para os problemas que levaram ao vício. Para quem não sabe, antes de entrar para o seminário Pe. Léo era também um viciado em drogas e conseguiu se curar. Mas seu passado era tão negro que mesmo com sua total mudança de vida ele não conseguiu se livrar da consequência das drogas: veio a falecer em 2007 de um câncer causado pelo uso dos alucinógenos. Portanto, ele soube nos descrever de forma bem concreta como é esse mundo, como é o sentimento de um viciado, e sabe também descrever a melhor maneira de alguém conseguir largar o vício.

Mas Pe. Léo aborda também outras drogas do mundo que vêm estragando a juventude, não apenas aquelas vendidas por traficantes. Ele fala de maneira bem clara como a indústria do consumismo consegue manipular os jovens, como o mundo vem aos poucos alterando os valores de toda uma geração, transformando-nos em pessoas vazias, consumistas, depressivas e com uma sensação de que nada nunca é o suficiente. Precisamos sempre de algo a mais. E esse livro vem mostrar que a única coisa que pode nos completar e nos satisfazer verdadeiramente não está no que o mundo nos oferece.

Dentre todos os livros religiosos que eu já li, esse com certeza foi o melhor e por isso ganhou de mim quatro estrelas no skoob. Claro que não é tão bom quanto os demais livros que eu considero quatro estrelas, comparados a eles este mereceria apenas três, mas por ter sido o melhor do seu gênero eu acredito que merece mais sim.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Meme: 11 perguntas sobre mim

Olá leitoras! Peço um milhão de desculpas pela ausência no blog logo depois de dizer que as postagens ficariam mais frequentes... Acontece que o carregador do meu notebook quebrou e eu passei esse tempo todo pra conseguir encontrar a pecinha nova e ele voltar a funcionar. Pois é, todo esse tempo sem meu notebook. Deu pra imaginar que eu praticamente enlouqueci não é? Mas enfim, pretendo voltar com tudo agora, e só para matar as saudades daqui vou postar esse meme que a Nayla do The Queen Land me indicou e achei bem legal.


As regras:

- Escrever onze coisas aleatórias sobre você.
- Responder as onze perguntas que a pessoa lhe mandou e criar onze novas perguntas para as pessoas para quem irá mandar.
- Escolher onze pessoas para repassar esse meme e colocar os links de seus respectivos blogs.
- Avisar os blogs escolhidos.
- Não retorne esse meme para quem te enviou.
- Postar as regras.

Onze coisas aleatórias sobre mim: 
  1. Me sinto muito sozinha na faculdade, ainda não consegui fazer "amigos" de verdade lá. Só colegas. E a cada dia de aula eu sinto mais e mais saudades dos meus amigos que ficaram no interior.
  2. Não gosto de usar perfume. Sei que parece loucura, mas eu simplesmente não gosto. Me obrigo a passar APENAS quando estou indo para uma festa ou algo assim, e na maioria das vezes que vou sair eu me esqueço de passar. E detesto gente que toma um banho e passa meio vidro de perfume para simplesmente ficar em casa.
  3. Minhas calças jeans não estão mais fechando - só tenho uma usável no momento. Não sei se o motivo é porque eu engordei ou porque a última vez que comprei uma calça nova foi há três anos e eu provavelmente cresci de lá pra cá. Fico com a primeira opção.
  4. Eu tenho um sono fora do normal. Qualquer momento do dia que eu sentar pra estudar, 10 minutos depois estou dormindo. E é também muito comum eu adormecer enquanto estou no telefone com meu namorado. Ele fica irritado quando isso acontece.
  5. Estou muito viciada em miojo, tento me privar de comer porque sei que engorda e que faz mal pra saúde, mas simplesmente não consigo passar uma semana sem comer ao menos um.
  6. Às vezes fico me perguntando se a vida não seria mais fácil e se eu não seria mais feliz se deixasse as ambições grandes de lado e não tivesse uma vida pacata.
  7. Quando me casar eu quero ter 5 filhos. Isso mesmo, 5! Espero conseguir um bom emprego para poder dar uma boa vida a todos eles.
  8. Sempre que vejo um bichinho abandonado no campus da minha faculdade - existem muitos - eu fico com o coração partido e querendo adotar algum deles, mas sei que meus pais não gostariam da ideia.
  9. Sou revolucionária, aquelas seguidoras de Che Guevara e tudo o mais. Tenho livros, revistas, filmes e documentários sobre a vida dele e seus ideais socialistas - com os quais me identifico 100%.
  10. A coisa que eu mais gosto de fazer no mundo é escrever e um dos meus maiores sonhos é publicar um livro, mas eu sei reconhecer que infelizmente não escrevo tão bem assim e talvez este seja um dos meus sonhos mais difíceis de alcançar.
  11. Eu sou muito medrosa - muito! - Não consigo assistir nenhum filme de terror, e até quando assisto coisas como Pretty Little Liars eu fico morrendo de medo na hora de dormir, achando que -A pode aparecer pelo meu quarto à qualquer momento.
Onze perguntas para mim:
  1. Sobre o que você mais gosta de escrever? Gosto de escrever principalmente romances, histórias de amor e etc. Mas gosto muito de escrever também textos depressivos, porque é nesses momentos de tristeza que eu me sinto mais inspirada para escrever.  Quem não é assim?
  2. Diga um dos seus maiores sonhos de vida. Publicar um livro e ter 5 filhos.
  3. Qual característica sua você acha dispensável? Muitas vezes eu tenho a necessidade de ser o centro das atenções, e isso é feio.
  4. Você é uma pessoa que gosta de ter muitos amigos, ou que gosta de ter poucos, mas grandes? Muitos amigos.
  5. O que é mais importante: fama, conhecimento ou amizade? Acho que é a amizade, pois apesar do conhecimento ser também muito importante, ele de nada vale se você não tiver amigos para alegrar a sua vida.
  6. Quais sites você mais frequenta durante o dia? Twitter e o meu blog.
  7. Está apaixonada? Muuuuuuuuuuuito!
  8. Qual o feriado preferido do ano? Por que? Natal, porque é quando a família se reúne pra celebrar o amor de Cristo. É uma das melhores vibrações do ano.
  9. Lugar que mais gostou de ter conhecido. Natal - RN.
  10. Pra onde deseja viajar nas férias? Apenas para perto do meu namorado.
  11. Qual o seu hobby preferido? Escrever, ler e assistir séries.

Onze perguntas para quem quiser fazer o meme:
  1. O que você mais gosta de ver nos blogs que acompanha?
  2. Qual seu livro preferido de todos os tempos? (não vale uma saga, só um único livro)
  3. Como você se vê daqui a 10 anos?
  4. Você já fez algum ato de caridade? Qual?
  5. O que é a felicidade para você?
  6. Quem é a pessoa que mais te inspira?
  7. Algum lugar do Brasil que você morre de vontade de conhecer.
  8. Teria coragem de se expor em uma praia de nudismo?
  9. O que mais te irrita?
  10. Qual foi a sua primeira palavra?
  11. Um trecho de uma música que está te descrevendo nesse exato momento?
Não vou indicar as 11 pessoas como manda a regra porque como eu estava muito tempo ausente eu estou um pouco por fora da blogosfera  No próximo meme eu prometo que tento indicar, mas por enquanto quem achar interessante e quiser fazer fique à vontade. :)