quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O problema das listas


Passei os últimos dias triste, muito triste. Chorava o tempo inteiro, sentia um aperto no coração e uma sensação de que algo estava muito errado. Faltam quatro dias para minhas aulas na faculdade começarem, e dois dias para eu me mudar. Estou tão ansiosa pra isso, começar uma nova rotina, conhecer gente nova, estudar sobre a coisa que mais me fascina no mundo - psicologia! Esperei por minha vida inteira esse momento chegar! Desde que eu tinha 4 anos (ou talvez menos) eu já havia decidido que era isso o que eu queria para minha vida, e mal via a hora de acontecer. E agora que está tão próximo eu me sinto tão... desesperada! Desesperada primeiro porque eu não quero me mudar e deixar meu namorado aqui. Criei uma certa dependência dele que eu achava que nunca criaria por homem nenhum. E segundo, não quero que as aulas comecem porque ainda quero fazer muitas coisas antes disso! No meu último ano de colégio eu estudei como uma condenada, não tinha tempo para fazer absolutamente nada do que eu adorava fazer, como por exemplo passar o dia inteiro na internet. E então eu resolvi colocar segunda entrada no vestibular para ter férias prolongadas e poder fazer tudo o que eu quis fazer e não pude o ano inteiro. Eu ia ler um milhão de livros, escrever um bilhão de textos e assistir um zilhão de séries. Eu ia levar o blog a sério, legendar Kdabra e ler quantas web novelas eu conseguisse! Fiz uma lista com tudo isso. E então minha universidade entrou em greve e eu tive as férias prolongadas ainda mais. Planejei viajar, aprender a falar inglês, emagrecer, melhorar meus dotes culinários. Planejei fazer tudo o que eu sempre quis fazer, pois eu sabia que quando minhas aulas começassem eu teria que me focar nos estudos, e não teria mais tempo para nada disso. Esta semana está fazendo exatamente um ano que eu estou de férias, e o que eu fiz? Nada. Nem metade de cada item que planejei. E Talvez esse seja o meu maior erro... eu planejo de mais! Eu planejo cada dia da minha vida, fazendo uma lista com tudo o que eu devo fazer nele. Planejo cada momento. Não sei viver na espontaneidade, no "deixa acontecer". E o que me mata a cada planejamento é a regra número um deles: nunca dão certo. Porque na hora H sempre sai algo diferente do que imaginamos, e isso leva todos os plano pelo ralo. E eu sei que é assim, e mesmo assim continuo planejando e me decepcionando cada vez que não consigo fazer o riscar todos os itens da lista. Chego a chorar por não cumprir uma meta que eu desejava tanto. E é isso o que eu tenho feito a semana inteira: chorar. Por ver que meu tempo está acabando e eu não poderei riscar um item se quer da lista de planos para as férias. E eu fico tão triste e tão chateada e tão decepcionada quando não consigo realizar minhas próprias metas. Me sinto incapaz. E se tem uma coisa que me deixa extremamente arrasada é esse sentimento de incapacidade. Minha vida inteira eu sempre fui a "foda", conseguia fazer tudo ao mesmo tempo, assumia mil e uma responsabilidades e desde os 13 anso eu já tinha o mesmo ritmo de vida de um empresário. E todos me admiravam ou invejavam por isso. E eu me sentia bem sendo assim. Quando foi que as coisas mudaram? Quando foi que eu fiquei tão insegura? Quando foi que eu deixei de ser aquela garota que um dia o professor de português disse pra mãe "Ela é incrível, tudo o que ela quiser ter na vida vai conseguir"? Eu sempre fui o tipo que quer abraçar o mundo com as pernas. Minha vida inteira eu sempre tentei fazer mais coisas do que a maioria é capaz. Do que eu sou capaz. Só que ao longo do tempo eu fui aumentando em progressão geométrica minha lista de deveres e obrigações, enquanto o meu tempo tem diminuído em progressão aritmética. Eu sei, é normal querer fazer mais coisas do que você pode, mas não é normal ficar tão arrasada assim quando chega o resultado que você já esperava: o fracasso. Não aguento mais chorar e ficar tão decepcionada por algo que eu já sabia que iria acontecer desde quando resolvi começar a fazer. Por diversas vezes pensei em desistir de algumas coisas para conseguir fazer outras, mas simplesmente não consigo. Pois amo de mais tudo isso que quero fazer e não consigo abdicar de nada. E isso é triste, e isso me mata aos poucos. Eu preciso encontrar uma solução para isso, antes que eu acabe perdendo a melhor fase da minha vida apenas por querer mais do que eu posso ter. Pode ser tarde de mais para eu terminar minha lista de férias, mas não é tarde de mais pra eu... sei lá... mudar de vida. Talvez começar uma outra lista, onde terá apenas um único item: - Não faça mais listas!!!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

The New Normal


Esta é uma das séries de comédia que estreou nesta temporada e na minha opinião é simplesmente a melhor de todas as estreias. Criada por Ryan Murphy (o mesmo de Glee), a série aborda a história de um casal gay que decide ter um filho, e procuram pela mulher perfeita para lhes servir de barriga de aluguel. Com um humor delicioso, a série te arranca risos o tempo inteiro.
Goldie (Georgia Kinh) foi a mulher escolhida como barriga de aluguel, e ela e sua filha Shania acabam criando um forte laço com o casal David (Justin Bartha) e Brian (Andrew Rannells), acabam tornando-se uma espécie de família, até aparecer Nana (Ellen Barkin), a avó de Goldie, e fazer de tudo para acabar com essa relação deles.
Nana é extremamente preconceituosa e defende de todas as maneiras possíveis o casamento apenas entre homem e mulher. Ela sempre faz para Brian e David comentários preconceituosos e piadinhas de humor negro a respeito do homossexualismo, e o mais engraçado é ver como eles simplesmente não se importam, pois entendem que ela é uma pessoa de mente fechada e apenas ignoram os ataques que ela faz.
Para nos fazer dar ainda mais gargalhadas, temos algumas cenas com a presença de Rocky (Nene Leakes, a Black Sue de Glee *-*), que é a secretária de Brian e sempre tem um comentário engraçado a fazer sobre qualquer coisa. 


Mas o que mais me fez apaixonar pela série não foi a temática, os personagens ou o humor, foram as cenas românticas entre David e Brian que sempre aparecem ao final de cada episódio. Geralmente eles passam o dia inteiro lutando contra o preconceito das pessoas, contra os impasses na relação e às vezes tendo aquelas famosas briguinhas de casal, mas no final eles sempre param para conversar e demonstrar como o amor que um sente pelo outro é gigante e como ele é capaz de superar qualquer coisa. É uma demonstração de amor tão linda e forte que sempre me deixa com os olhos cheios de lágrimas. E olha pra eu ficar emocionada assim é difícil. Eu nunca vi nada parecido com o relacionamento deles dois entre nenhum outro casal, hetero ou homo, em nenhuma outra série.
Não é uma série apelativa como Glee, não se esforça para ser fofinha e nos deixar fazendo "onw" o episódio inteiro. Nas risadas vêm espontaneamente, e a história acaba nos prendendo e fazendo querer assistir mais e mais, como se nunca fossemos nos cansar dessas pessoas.

sábado, 3 de novembro de 2012

Meme Mixtape

Roubei esse meme da Nayla do The Queen Land, achei intererrante e resolvi fazer aqui... algumas músicas foram difíceis de achar, enquanto outras já estavam na ponta da língua. Enfim, vamos lá.


(regras na esquerda respostas na direita)

O nome da mixtape deve ser uma frase de um filme: "Coincidência. É tudo o que é. Nada mais do que coincidência." - 500 Days of Summer
  1. Uma música pra animar pela manhã: Libertad - Christian Chávez ft. Anahí
  2. Uma música que é perfeita para um dia de chuva: I Wanna Be The Rain - RBD
  3. Uma música que lembra sua infância: Ragatanga - Rouge
  4. Uma música que está entre as suas melhores de todos os tempos: Perfect - Simple Plan
  5. Uma música feliz: Firework - Katy Perry
  6. Uma música descoberta em um filme: Safe & Sound - Taylor Swift (Jogos Vorazes)
  7. Sua música favorita dos Beatles: I Want To Hold Your Hand
  8. Uma música de um dos primeiros discos que você lembra ter ouvido: Que Paí É Esse - Legião Urbana (Que País É Esse)
  9. Uma música cover: She Will Be Loved - Boyce Avenue feat. Tiffany Alvord
  10. Uma música de uma banda que você não gosta, com exceção dessa: Desde Quando Você Se Foi - Fresno
  11. Uma música do último CD que você comprou/ganhou: Quem Sabe - RBD (Celestial Brasil)
  12. Uma música que você descobriu numa playlist que alguém te deu: Sticks and Stones - Aly and AJ (Playlist do The Queen Land)
  13. Uma música triste de amor: Alergico - Anahí
  14. Uma música sobre uma garota: Natasha - Capital Inicial
  15. Uma música sobre um garoto: Sexy Boy - Christian Chávez
  16. A música favorita do seu ex (sua ex): Vem andar comigo - Jota Quest
  17. Uma música com a palavra ‘Don’t” no título: Don't Tell Me - Avril Lavigne
  18. Uma música com uma cor no título: Yellow - Coldplay
  19. Uma música estranhinha mas fofa: Secret - The Pierce
  20. Uma música que faz você sorrir ao ver céu azul num dia de sol: (I've Had) The Time Of My Life - Glee Cast