terça-feira, 26 de junho de 2012

Diário #23

Sei que aconteceram algumas coisas na minha vida esses últimos dias que merecem ser relatadas no diário, como por exemplo o show e-s-c-p-e-t-a-c-u-l-a-r de Christian Chávez em Recife, é, eu sei. Mas não quero falar sobre o show, ou sobre a terceira temporada de Pretty Little Liars, ou sobre o meu namoro utópico. Hoje estou aqui para falar sobre outra coisa, que alguns podem achar besteira e outros podem achar mais importante que todos esses outros temas citados: eu pedi demissão do meu emprego!
Sim, eu pedi demissão! Dá pra acreditar? "Mas Anna, você estava tão feliz por estar trabalhando, e por estar fazendo algo que você gosta, que é escrever" É, eu sei disso tudo. No começo esse emprego parecia um sonho. Trabalhar em casa, escrevendo artigos, aprendendo todos os dias coisas novas e sobre variados assuntos, ganhar dinheiro para fazer algo que eu realmente amo fazer... Mas na verdade as coisas não eram tão perfeitas assim. Eu tinha uma meta diária de 5 artigos. Não parece ser muita coisa, mas é. No começo eu tava conseguindo fazer tudo direitinho, mas ai um diazinho só eu tive uns problinhas e não consegui atingir a meta. Acumulei artigos pra o outro dia. Pronto, um mês depois e eu ainda estava com artigos acumulados. Perdi totalmente o controle, não só da minha pauta mas de de mim mesma.
Eu fiquei desesperada. Não dormia, não comia direito, não descansava. Não assistia nada, não lia nada, não conversava com ninguém. Nem no meu facebook eu entrava pra não me distrair. Passava 25 horas por dia pensando e falando nos artigos (pessoal que me segue no twitter sabe bem disso). Várias vezes eu passei a madrugada escrevendo artigos, fui dormir de 5h da manhã e acordei de 8h para fazer mais artigos. De repente todos estavam com pena de mim e dizendo que esse trabalho não estava me fazendo bem. Minha mãe, meu namorado, meu melhor amigo... todo mundo percebia o quando aquilo estava me enlouquecendo.
Eu vivia sobre pressão total, mesmo sem ser pressionada por meu chefe. Ele sempre foi muito bonzinho comigo, nunca ficava me cobrando e sempre estendia meus prazos, fazia de tudo pra me ajudar. Então você deve estar se perguntando "se o chefe dela era tão flexível e não ficava cobrando, porque ela surtou desse jeito?", é, eu também não entendia o por quê. Até que minha mãe disse isso na minha cara e eu finalmente percebi. Eu sou muito perfeccionista, sempre fui. Gosto das minhas coisas todas certinhas, organizadas. Gosto de cumprir metas e prazos. E não descanso até ser bem sucedida no que faço. Então, quando eu comecei a atrasar meu trabalho e a não conseguir fazer minhas coisas, eu simplesmente surtei. Entrei em pânico mesmo. Vivia chorando e tudo. E todos me aconselhavam a sair do emprego, pois graças a Deus eu não preciso dele no momento, não preciso do dinheiro pois meus pais não se importam em continuar me sustentando até eu terminar a faculdade.
Mas eu simplesmente não conseguia desistir de tudo. Uma parte de mim dizia que era porque eu queria o dinheiro, queria juntá-lo para ir a um almoço com Christopher, queria poder comprar todos os livros, CDs e DVDs que sempre tive vontade mas meus pais não liberavam verba. Mas na verdade, lá no fundo eu sabia que não queria desistir porque esta palavra não existe em meu vocabulário. Não consigo começar uma coisa sem ir até o final, pode ser um filme chato, um livro entediante, uma série irritante... por mais que eu não esteja gostando, eu SEMPRE vou até o fim. Nunca fui de desistir de nada, parar na metade. Ter força e garra pra ir até o fim é questão de honra pra mim.
Então depois de pensar muito e ter uma séria conversa com meu interior, eu decidi que o melhor para mim realmente era desistir. Isto estava me fazendo muito mal, cheguei até a ficar com taquicardia e o médico disse que se eu não parasse e ter estresse iria precisar ficar tomando calmante. Então, em nome da minha saúde e da minha sanidade mental, e com o apoio a minha mãe que graças a Deus me entendeu e me apoiou em absolutamente tudo, eu pedi demissão.
Ontem foi meu último dia de trabalho. Escrevi meus últimos artigos, depois escrevi uma carta enorme de agradecimento ao meu chefe, pela oportunidade e pelas "ajudinhas" quando eu atrasei minha pauta, e por fim enviei tudo junto em um último e-mail para a empresa. Quando apareceu aquele aviso de "seu e-mail foi enviado" eu senti um alívio tão grande no meu coração! Inexplicável. Me levantei na mesma hora pra ir contar a minha mãe, e eu estava me sentindo mais alegre, mais feliz. "É uma sensação de alívio né?" Minha mãe perguntou, e eu lembrei da última vez que ela tinha falado isso pra mim, no dia que eu passei no vestibular. Sim, senti um alívio gigantesco naquele dia, de tirar todo o peso e os medos de cima de mim. Mas fala sério, o alívio de saber que eu finalmente estava livre desses artigos foi muito maior!
Senti que podia respirar de novo! Olhei na janela e tava chovendo. Os últimos dias foram todos de chuva, mas eu a olhava indiferente. E depois que eu me senti aliviada eu olhei a chuva com outros olhos. Sorri porque estava chovendo, e aquele friozinho só me deu vontade de fazer uma coisa: tomar um banho quente, me agasalhar, sentar na frente do computador e escrever. Escrever pro blog, escrever pras webs, escrever no twitter... apenas escrever! Sem compromisso nenhum, sem tema pré-determinado... Eu estava voltando a ter amor pela escrita. Meu trabalho voltou a ser meu hobbie que eu tanto amava.
Então estou imensamente feliz agora. Feliz, aliviada... LIVRE! Porque é isso o que eu estou sentindo desde ontem, liberdade. Esta é a palavra que está me definindo hoje. Foi a primeira coisa que pensei na hora que abri os olhos de manhã, e foi o que eu mais pensei durante todo o dia. ESTOU LIVRE! Posso voltar a ser eu mesma, fazer as coisas que amo, relaxar e aproveitar ao máximo minhas férias, para que quando minhas aulas na faculdade começarem (em agosto ou quando as universidades federais decidirem sair da greve) eu estar no pique das aulas e estar totalmente renovada para começar novamente o ritmo intenso dos estudos. E é sério gente, não tem nada mais gostoso que a sensação de liberdade.





Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Ê eu li! HSUAHUSHAU
    É uma pena vc nao ter continuado anninha =((((
    sentirei sua falta na ~redação~ (FINGE QUE TINHA UMA AQUI!).
    Realmente a ideia de misturar hobby com trabalho não deu certo no momento, afinal seu destino é ser a conselheira psicóloga e não a jornalista (essa soy yo).

    Xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa redação é o twitter, abafa KKKKKKKKKKKK
      sim sim sim, conselheira psicóloga, se Deus quiser *-* PAKSAPOSAPOSAPOSKPOASKPOA
      mas obrigada amiga, você me deu mta força, mtos conselhos de como seguir em frente... se não fosse você tudo isso teria sido BEM mais difícil.

      Excluir
  2. libertad, libertad ♪

    Eu não tinha ideia dessa loucura toda até ler um tweets seus de madrugada durante a semana, de verdade me assustei, já era bastante tarde e você dizia que ainda faltavam 6 artigos, de alguma maneira senti orgulho de você, e senti mais agora por você escolher parar. Sinta-se aliviada e com apoio dos que querem teu bem.Aproveita as férias, a família, o namooooro *-* Aproveite você bebita!

    bjãoo/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. onw Netinho, que coisa mais linda! Sente orgulho de mim? ç.ç SEU LINDO AFFFF
      te amo bebito <3

      Excluir
  3. Nossa, Parabéns seu blog é muito lindo!
    Já estamos seguindo...
    Se der da uma olhadinha no nosso também viiu
    http://entrandoemcampo-com-elas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Sou perita em pedir demissão, já pedi pessoalmente, por telefone e por e-mail. Quando não estamos gostando do trabalho realmente não tem outro jeito, até mesmo porque levantar e sair de casa para fazer algo que nos faz mal é péssimo. Quase entrei em depressão quando trabalhava de telemarketing.
    Se os seus pais estão te ajudando aproveite bem as férias e vai que vai que da hora certa vai aparecer um emprego legal e você vai poder comprar todos os livros e DVDs que quiser!
    Espero que as aulas voltem em agosto também, a facul da minha amiga - UFF- tbm está de greve e ela está surtando! rs

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério que você já pediu demissão tantas vezes assim? KKKKKKKK telemarketing? oh my fucking god, que pena de você! IAUOEIOAEUIAOEUIOAEOIUAEU '
      ah, não quero mais que as aulas voltem em agosto, por mim elas podem voltar só em março agora POASKPOAKPOSAOKSAKPOSO
      kisses :*

      Excluir

Se você gostou do post, comenta! Vou adorar saber o que você achou.
Assim que puder responderei seu comentário, e se você deixar o link do seu blog irei retribuir a visita. Obrigada, e volte sempre!

Beijos, Anna