terça-feira, 26 de junho de 2012

Diário #23

Sei que aconteceram algumas coisas na minha vida esses últimos dias que merecem ser relatadas no diário, como por exemplo o show e-s-c-p-e-t-a-c-u-l-a-r de Christian Chávez em Recife, é, eu sei. Mas não quero falar sobre o show, ou sobre a terceira temporada de Pretty Little Liars, ou sobre o meu namoro utópico. Hoje estou aqui para falar sobre outra coisa, que alguns podem achar besteira e outros podem achar mais importante que todos esses outros temas citados: eu pedi demissão do meu emprego!
Sim, eu pedi demissão! Dá pra acreditar? "Mas Anna, você estava tão feliz por estar trabalhando, e por estar fazendo algo que você gosta, que é escrever" É, eu sei disso tudo. No começo esse emprego parecia um sonho. Trabalhar em casa, escrevendo artigos, aprendendo todos os dias coisas novas e sobre variados assuntos, ganhar dinheiro para fazer algo que eu realmente amo fazer... Mas na verdade as coisas não eram tão perfeitas assim. Eu tinha uma meta diária de 5 artigos. Não parece ser muita coisa, mas é. No começo eu tava conseguindo fazer tudo direitinho, mas ai um diazinho só eu tive uns problinhas e não consegui atingir a meta. Acumulei artigos pra o outro dia. Pronto, um mês depois e eu ainda estava com artigos acumulados. Perdi totalmente o controle, não só da minha pauta mas de de mim mesma.
Eu fiquei desesperada. Não dormia, não comia direito, não descansava. Não assistia nada, não lia nada, não conversava com ninguém. Nem no meu facebook eu entrava pra não me distrair. Passava 25 horas por dia pensando e falando nos artigos (pessoal que me segue no twitter sabe bem disso). Várias vezes eu passei a madrugada escrevendo artigos, fui dormir de 5h da manhã e acordei de 8h para fazer mais artigos. De repente todos estavam com pena de mim e dizendo que esse trabalho não estava me fazendo bem. Minha mãe, meu namorado, meu melhor amigo... todo mundo percebia o quando aquilo estava me enlouquecendo.
Eu vivia sobre pressão total, mesmo sem ser pressionada por meu chefe. Ele sempre foi muito bonzinho comigo, nunca ficava me cobrando e sempre estendia meus prazos, fazia de tudo pra me ajudar. Então você deve estar se perguntando "se o chefe dela era tão flexível e não ficava cobrando, porque ela surtou desse jeito?", é, eu também não entendia o por quê. Até que minha mãe disse isso na minha cara e eu finalmente percebi. Eu sou muito perfeccionista, sempre fui. Gosto das minhas coisas todas certinhas, organizadas. Gosto de cumprir metas e prazos. E não descanso até ser bem sucedida no que faço. Então, quando eu comecei a atrasar meu trabalho e a não conseguir fazer minhas coisas, eu simplesmente surtei. Entrei em pânico mesmo. Vivia chorando e tudo. E todos me aconselhavam a sair do emprego, pois graças a Deus eu não preciso dele no momento, não preciso do dinheiro pois meus pais não se importam em continuar me sustentando até eu terminar a faculdade.
Mas eu simplesmente não conseguia desistir de tudo. Uma parte de mim dizia que era porque eu queria o dinheiro, queria juntá-lo para ir a um almoço com Christopher, queria poder comprar todos os livros, CDs e DVDs que sempre tive vontade mas meus pais não liberavam verba. Mas na verdade, lá no fundo eu sabia que não queria desistir porque esta palavra não existe em meu vocabulário. Não consigo começar uma coisa sem ir até o final, pode ser um filme chato, um livro entediante, uma série irritante... por mais que eu não esteja gostando, eu SEMPRE vou até o fim. Nunca fui de desistir de nada, parar na metade. Ter força e garra pra ir até o fim é questão de honra pra mim.
Então depois de pensar muito e ter uma séria conversa com meu interior, eu decidi que o melhor para mim realmente era desistir. Isto estava me fazendo muito mal, cheguei até a ficar com taquicardia e o médico disse que se eu não parasse e ter estresse iria precisar ficar tomando calmante. Então, em nome da minha saúde e da minha sanidade mental, e com o apoio a minha mãe que graças a Deus me entendeu e me apoiou em absolutamente tudo, eu pedi demissão.
Ontem foi meu último dia de trabalho. Escrevi meus últimos artigos, depois escrevi uma carta enorme de agradecimento ao meu chefe, pela oportunidade e pelas "ajudinhas" quando eu atrasei minha pauta, e por fim enviei tudo junto em um último e-mail para a empresa. Quando apareceu aquele aviso de "seu e-mail foi enviado" eu senti um alívio tão grande no meu coração! Inexplicável. Me levantei na mesma hora pra ir contar a minha mãe, e eu estava me sentindo mais alegre, mais feliz. "É uma sensação de alívio né?" Minha mãe perguntou, e eu lembrei da última vez que ela tinha falado isso pra mim, no dia que eu passei no vestibular. Sim, senti um alívio gigantesco naquele dia, de tirar todo o peso e os medos de cima de mim. Mas fala sério, o alívio de saber que eu finalmente estava livre desses artigos foi muito maior!
Senti que podia respirar de novo! Olhei na janela e tava chovendo. Os últimos dias foram todos de chuva, mas eu a olhava indiferente. E depois que eu me senti aliviada eu olhei a chuva com outros olhos. Sorri porque estava chovendo, e aquele friozinho só me deu vontade de fazer uma coisa: tomar um banho quente, me agasalhar, sentar na frente do computador e escrever. Escrever pro blog, escrever pras webs, escrever no twitter... apenas escrever! Sem compromisso nenhum, sem tema pré-determinado... Eu estava voltando a ter amor pela escrita. Meu trabalho voltou a ser meu hobbie que eu tanto amava.
Então estou imensamente feliz agora. Feliz, aliviada... LIVRE! Porque é isso o que eu estou sentindo desde ontem, liberdade. Esta é a palavra que está me definindo hoje. Foi a primeira coisa que pensei na hora que abri os olhos de manhã, e foi o que eu mais pensei durante todo o dia. ESTOU LIVRE! Posso voltar a ser eu mesma, fazer as coisas que amo, relaxar e aproveitar ao máximo minhas férias, para que quando minhas aulas na faculdade começarem (em agosto ou quando as universidades federais decidirem sair da greve) eu estar no pique das aulas e estar totalmente renovada para começar novamente o ritmo intenso dos estudos. E é sério gente, não tem nada mais gostoso que a sensação de liberdade.





sexta-feira, 22 de junho de 2012

Dating Rules From My Future Self

Então pessoas, todos sabem que eu sou completamente viciada em séries. Atualmente estou assistindo 19, mas sei que daqui pra agosto estarei em quase 30! KKKKKKKKK Aqui o meu orangotag com todas as séries que acompanho, pra quem quiser saber.
Enfim, decidi começar a falar sobre séries no meu blog, e a primeira série que eu resolvi falar foi esta que eu descobri semana passada e sei que poucos a conhecem, por isso resolvi divulgá-la porque é muuuuito gostosa de assistir: Dating Rules From My Future  Self.


A série é bem pequena, tem apenas 9 episódios da primeira temporada (que já se encerrou) e cada episódio tem por volta de 10 minutos de duração. Mas além disso, o desenrolar da história se dá de uma maneira tão gostosa que você assistiria todos os episódios de uma vez só nem nem perceber! Sério, a série é super linda, romântica, fofinha, é uma delícia e assistir, de verdade. E sem contar que tem uma história muito legal e passa uma mensagem maravilhosa no final da temporada.
Dating Rules From My Future Self conta a história de Lucy. Ela trabalha em uma empresa que desenvolve aplicativos de celular, e namora com um cara há 3 anos, mas nunca teve certeza se o amava realmente. Ai de repente ele a faz um pedido de casamento, e ela fica muito na dúvida se deve aceitar ou não. Então, de repente ela começa a receber mensagens de texto de um número desconhecido, a dando conselhos sobre o que fazer em relação ao seu namorado e ao casamento. Ao perguntar ao desconhecido qual a sua identidade, ela recebe uma resposta assustadora: é ela mesma, só que dez anos mais velha. O indivíduo das mensagens diz que a empresa em que ela trabalha conseguiu desenvolver um aplicativo em que você pode mandar mensagens no tempo, para o seu eu passado, e tentar mudar algo em sua vida presente (que no caso é o futuro).
Não sei se vocês entenderam o lance das mensagens, porque eu acho que não soube explicar direito, mas assistam que vocês vão entender, realmente vale a pena! A série é super divertida e vai te garantir boas risadas também, graças às duas melhores amigas de Lucy que apresentam uma maneira bem humorada de ajudarem a amiga neste momento de impasse da vida aonde todo o seu futuro poderá mudar dependendo de qual escolha ela fizer.
A primeira temporada já acabou, mas a segunda temporada já está com estreia prevista para agosto, e é com um elenco todo novo. Eu particularmente não gostei disso, pois a-d-o-r-e-i os atores dessa primeira temporada, são realmente muito bons e eu queria curtir eles por mais um tempinho, já que os episódios são tão curtinhos e deixam a gente com um gostinho de quero mais.


Aqui está o trailler da série para quem se interessou. Sério, vale muito a pena assistir! São menos de 90 minutos ao total, dura menos que um filme e é muito gostoso, além de ter uma linda mensagem no final. Vale muito a pena mesmo.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Diário #22

Especial - Dia dos namorados



Então gente, eu não tive muito tempo essa semana com toda a correria do trabalho e do show de Christian - que depois conto aqui direitinho também como foi - pra contar sobre o meu primeiro dia dos namorados com Bruno! O melhor da minha vída, sem um pingo de sombra de dúvidas hahaha.
Bom, pra começar nós dois ficamos no telefone no dia 11 e junho até dar meia noite pra desejarmos feliz dia dos namorados um ao outro. ~ansiedade mil né kkk~ No dia 12 mesmo nós nos vimos cedinho, porque eu estava em Vertentes, na casa dos meus avós (desde o sábado dia 9) pois meu avô estava doente e precisava de mim. Como não tinha ninguém pra dirigir e levar meu avô ao hospital já que ele estava impossibilitado de dirigir, Bruno passou o fim de semana e o início da semana como motorista do meu avô. Ai no dia 12 meu avô precisou ir ao hospital cedinho e Bruno foi levá-lo. Me encontrou de manhãzinha - por volta das 7h - com cabelo assanhado, cara inchada de sono, bafo matinal e ainda de camisola. E o pior é que ele teve coragem de olhar pra mim e dizer que eu estava linda! KKKKKKK Enfim, depois que ele voltou do hospital ficou um tempinho lá comigo (eu já estava arrumada, claro rs) e depois ele foi pra casa almoçar pra depois ir trabalhar. Fui então pra casa de uma amiga porque prometi ajudar ela a preparar o presente do namorado dela, que ia ser uma caixa dos 5 sentidos. Bruno foi lá me buscar de 6h da noite pra irmos para a NOSSA programação de dia dos namorados. Os planos era fazermos juntos um jantar romântico na casa dele e depois trocarmos os presentes. Eu havia passado a manhã inteira procurando uma receita na internet pra fazer. Como ele adora todos os tipos de massas, e principalmente macarrão, a receita que eu escolhi foi essa aqui de um delicioso macarrão à romanesca. Fomos então ao supermercado comprar os ingredientes e depois fomos para o destino de nossa noite, a casa dele. Começamos então a preparar nossa receita, ele picava todos os ingredientes enquanto eu me encarregava de colocá-los na panela e pilotar o fogão. E ele era um fofo, sempre querendo ajudar em tudo! *-* Depois a irmã dele chegou lá com uma travessa enorme com uma lasanha e pediu pra a gente colocar no forno, porque seria a janta especial dela e do namorado dela. Algum tempo depois nosso macarrão ficou pronto, e como a travessa de lasanha era muito grande e tava quente, a minha cunhada e seu namorado acabaram jantando lá na casa de Bruno mesmo, e não na casa dela (que é em frente kkk), e eu e Bruno para ficarmos à sós transferimos nosso jantar para a cama dele. Ai nós ajeitamos os pratos, talheres e copos lá em cima da cama, ele ligou o notebook do lado tocando umas músicas românticas e passando um slide de fotos nossas (principalmente fotos minhas kkk), nos sentamos um de frente pro outro e começamos a comer enquanto conversávamos e alisávamos a mão do outro. Foi tipo lindo lindo lindo lindo lindo! E o macarrão? hmmmmmmmmmmmm... Sério gente, recomento de mais. É simples, com ingredientes que todo mundo tem em casa, fácil de fazer e fica simplesmente uma DELÍCIA! E não tirei foto pra postar aqui porque ele ficou igualzinho ao da receita, sério.
Ai, depois que nos empanturramos de macarrão - e depois que dele elogiar muito a comida e dizer que foi o melhor jantar da vida dele, awn - nós fomos lavar os pratos. A irmã dele também estava lavando os pratos do jantar dela e então ficamos os dois casais conversando. O namorado dela é muito engraçado, me fez morrer de rir. Depois a mãe dele chegou e ficou rindo com a gente também. Sério, foi incrível passar um tempinho com a família dele, mesmo em um dia que era pra ser só nosso. Quando todos os pratos foram lavados então a minha cunhada e seu namorado voltaram para a casa dela e nos deixaram lá para curtir nosso momento de novo. Estava na hora da troca os presentes! *-*
Ele me deu uma mesinha de apoiar notebook na cama que vem com 2 collers. Tipo, tudo o que eu precisava pra trabalhar, né? Adorei, adorei, adorei, adoreeeeei! Agora posso trabalhar na cama como gosto e sem ficar com a perna muito quente :)
E então chegou a vez dele abrir o meu presente. Bom, ele já havia me dito antes que não queria que eu comprasse nada, queria que eu fizesse algo pra ele porque sabia que eu era criativa o bastante para isso. Depois de muitas pesquisas eu decidi fazer um potinho cheio de pergaminhos, e em cada pergaminho tinha um motivo pra amá-lo. Tipo, deu um puuuuuuta trabalho, passei uma semana fazendo tudo, e o lacre do pergaminho é a coisinha mais chata de fazer que teve, mas super valeu a pena porque ficou lindo, romântico, e ele a-m-o-u!


Pensei em fazer um post inteiro com um Do It Youself desse presente, mas ele é simples, então resolvi fazer incluso no diário mesmo.

  1. Compre um recipiente de vidro à sua preferência, ou faça como eu e pegue um que tem em casa mas não usa muito. Lave e deixe secar bem direitinho.
  2. Imprima os motivos (ou pode escrevê-los a punho também, mas vai demorar semanas) e os recorte em tirinhas.
  3. Corte tirinhas menos largas que a tirinha com os motivos e em um papel de outra cor.
  4. Enrole a tirinha dos motivos, formando um pergaminho, e enrole em cima dela a tirinha de outra cor.
  5. Passe cola da pontinha da tirinha que está lacrando o pergaminho e pressione até que a cola seque.
  6. Repita o processo em todos os motivos.
  7. O nome "motivos pra te amar" e os corações brancos (me arrependi profundamente de não os fazer vermelhos) no vidro foi impresso em papel adesivo em uma gráfica, é baratinho e prático de utilizar.
  8. Cobri a tampa do vidro com um quadrado de folha de papel seda cor de laranja. Apenas envolvo a folha na tampa e prendi em baixo com um adesivo. É complicado pra fechar porque o papel é sensível e pode rasgar com facilidade, mas foi a opção mais prática e bonitinha que achei.
  9. A caixa e o laço foram comprados prontos em uma papelaria.
  10. Ao total gastei R$ 16,00 na confecção do presente inteiro. E isto inclui as 9 folhas impressas com os 180 motivos, a folha de papel cartão pra o lacre, a caixa, o laço, o adesivo pra colar no vidro e as folhas de seda que coloquei na tampa e na caixa pra fazer volume ao redor do vidro.

Enfim, deu muito trabalho mas super valeu a pena, porque Bruno amou MUITO, se emocionou pra caramba com os motivos e até chorou. Sim, ele chorou! Disse que foi o melhor presente que já ganhou a vida inteira, e o melhor dia dos namorados que já teve também. E então, depois da troca dos presentes ficamos trocando juras de amor. Ele perguntou se eu queria casar com ele - me pergunta isso o tempo inteiro - e eu disse que sim. E então ele se lembrou de uma cena da série Pretty Little Liars que eu contei pra ele uma vez, dizendo que achei muito lindo. É aonde a personagem Maya conta para os pais de Emily que quando o pai dela foi pedir a mãe em casamento ele não tinha comprado um anel, então pegou uma caneta permanente e desenhou um anel no dedo dela. Quando a tinta começou a sair o dedo a mãe dela tatuou o anel que foi desenhado pelo noivo, e este anel tatuado foi a única aliança que ela teve na vida. Uma aliança da qual não podia se livrar jamais. Enfim, quando eu respondi que sim, queria me casar com ele, ele se levantou e pegou um piloto vermelho na cômoda, depois pediu minha mão. Eu comecei a sorrir, já sabendo o que ele ia fazer, e então ele segurando minha mão começou a declarar os seus votos e depois desenhou uma aliança no meu dedo. Peguei o piloto da mão dele e comecei a fazer os meus votos, mas eu me emocionei e comecei a chorar muito, e por isso na hora de desenhar a aliança no dedo dele eu estava trêmula e ela acabou ficando muito grossa, mas não teve problema. Ficou linda do mesmo jeito. Depois ele ainda pediu pra tirarmos fotos das nossas mãos com alianças, como os recém-casados fazem. Enfim, foi o dia dos namorados mais lindo que eu já tive, e o dia 12 de junho foi um dos melhores dias da minha vida, sem sombra de dúvidas. E segundo o meu namorado utópico, foi um dos melhores da vida dele também. *-*


xx

terça-feira, 12 de junho de 2012

Dia dos namorados


Quando meus olhos se abriram esta manhã eu já estava sentindo meu coração juntinho do seu. Já podia sentir um sorriso se formar em meus lábios só de me lembrar de você. Por que a primeira coisa que eu penso, todos os dias assim que acordo, é em você. Mas hoje esse pensamento foi especial, pois hoje é um dia especial. Hoje é o dia de eu te lembrar o quanto eu te amo, e o por quê de eu te amar tanto. Hoje não é o dia de eu te encher de presentes, mas sim de beijos e carinhos. Hoje é o dia de admirar você, cada olhar, cada sorriso, cada gesto... cada palavra que sai da sua boca. Pois hoje é também dia de se reapaixonar. Dia de sentir o amor fluindo de um coração para o outro. Dia de celebrar este amor.

Feliz dia dos namorados! Eu te amo sz

sexta-feira, 1 de junho de 2012

E hoje faz 2 meses!


Dois meses que eu vivo sorrindo como boba pelos cantos. Dois meses que a sua voz é a última coisa que escuto antes de dormir. Dois meses que eu me sinto completamente feliz e realizada. Dois meses que estamos namorando!
E nesses dois meses eu já aprendi tantas coisas. Já sorri tanto, e já chorei tanto também - principalmente de saudade -. Dois meses em que a cada minuto, quando eu fecho os olhos, só o que me vem a cabeça é o seu sorriso bobo quando olha pra mim. Dois meses que sinto meu coração bater mais forte toda vez que você me liga. Dois meses que me sinto a pessoa mais feliz do mundo só por te ter ao meu lado.
Meu namorado utópico e perfeito. Eu te amo. ♥