terça-feira, 15 de junho de 2010

Eu & você...

[parte 2]


Seu José é o motorista da minha família. Está conosco a muitos anos, antes mesmo de eu nascer. Eu o adoro. É claro que eu preferiria que meu pai ou minha mãe viesse me buscar na escola, como todos os outros pais normais. Mas meu pai trabalha muito, mal o vejo. E minha mãe? Ah, minha mãe é um caso a parte. Ela acredita que mulheres de classe não dirigem, tem motoristas que dirigem para elas. Sim, minha mãe é pior que criança mimada, tem todas aquelas manias de gente chique. Foi criada assim, nunca conheceu a pobreza, não sabe o que é isso. Eu sou diferente. Fui criada pelas empregadas, é verdade, e é exatamente por isso que sou diferente. As empregadas me mostravam um pouco da realidade do mundo, falavam sobre suas famílias humildes, como eram as coisas em uma vida completamente diferente da vida que eu tenho, vida de rico, como elas dizem. Eu não tenho culpa de ter nascido em família rica, mas pelo menos não sou como minha mãe, tenho os pés no chão e sei muito bem que existem coisas a mais na vida do que jóias e dinheiro. Em meus longos 13 anos de vida, eu nunca desprezei alguém por ter menos dinheiro que eu, como os outros da minha classe social fazem. Claudinha, a empregada que cuidou de mim a minha vida inteira, diz que eu sou o futuro da classe alta, a única que pode salvar o sangue da família. Tolice, eu acho. Não é possível que no mundo INTEIRO não exista alguém que tenha dinheiro e a mesma personalidade que eu. E eu tenho fé que minha irmã também irá pelo mesmo caminho que eu. Mas ainda é muito cedo pra saber, afinal, ela só tem 10 anos de idade.

Claudinha: Senhorita Dulce? – Entrando no quarto de Dulce. –
Dulce: Oi Claudinha.
Claudinha: Anahí está aqui!
Dulce: Mande-a entrar então. – Claudinha sai e chama Anahí. –
Anahí: - Entrando no quarto. – Quando é que eu vou parar de precisar ser anunciada pra entrar aqui? Poxa Dulce, já faz 13 anos que é desse mesmo jeito.
Dulce: São regras da minha mãe Annie, você sabe disso, sabe como ela é.
Anahí: Não agüento mais essas besteiras de rico que sua mãe tem – Imitando a mãe de Dulce andar. –
Dulce: - Rindo. – Eu também não, mas não posso fazer nada, esse é o jeito dela não é? Mas não venha querendo me enrolar não, você veio aqui pra me contar uma coisa não foi dona Anahí?
Anahí: - Sentando na cama de Dulce. – Ain Dulce, foi tão perfeito – Suspirando de felicidade. –
Dulce: Antes de mais nada, sua mãe não desconfiou de nada?
Anahí: Não, não. Graças a Deus meu irmão não estuda mais lá no colégio, então não tem ninguém que possa dedurar pra ela que eu matei a última aula né?

O irmão de Anahí estudava no nosso colégio até o ano passado. Agora ele é ensino médio, e foi estudar em outra escola, a melhor escola do país quando se trata de ensino médio. Elite Way School. É um colégio interno e pra elite. Tudo lá é muito lindo, um sonho. Não vejo a hora de eu e Annie irmos estudar lá de vez, mas ainda faltam 2 longos anos, pois atualmente estamos cursando a 7ª série do ensino fundamental II.

Dulce: Você sabe que eu preferia que seu irmão ainda estudasse lá :$
Anahí: AAAH DULCE! Eu vim aqui pra falarmos de uma coisa muito importante, e não do chato do meu irmão.
Dulce: Você tem razão. Me conta, como foi, deu tudo certo?
Anahí: AAAH FOI PERFEITO! O melhor primeiro beijo que alguém poderia querer ter. O Paulinho foi muito romântico, sabe? Ele não ficou comigo lá no ginásio, onde marcamos de nos encontrar. Me levou pra um jardim super lindo – Olhas brilhando. –
Dulce: Vocês ficaram no jardim? – Boca aberta. -
Anahí: Não seja boba Dulce, claro que não ficamos lá, naquele jardim onde todos passam o recreio. Era um jardim diferente, eu nunca tinha visto. Acho que é só pros professores, não sei. Ele sabia uma “passagem secreta” pra ir pra lá.
Dulce: Ahhh.
Anahí: Bom, nós chegamos lá, ficamos conversando um pouco, ele não foi como aqueles meninos idiotas que chegam e vão logo beijando sabe, ele conversou um pouco, me fez rir, perguntou umas coisas sobre mim, falou umas coisas sobre ele, e ai sim ele me beijou...
Dulce: OOOOOOUN – Olhos brilhando. - E como é beijar? É bom?
Anahí: É OOOTIMO!
Dulce: Ele botou a língua?
Anahí: - Rindo. – Claro Dulce, acho que sempre se usa a língua. Na verdade beijo é bem diferente daqueles beijos da televisão. Aquilo é só encostar a boca, praticamente. Beijo é muito diferente, o movimento dos lábios, das línguas, as carícias feitas no rosto e no cabelo, só a sensação de estar lá, ao lado dele, abraçada a ele, já é demais.
Dulce: Ahhh. Me conta mais detalhes sobre como é o beijo. Eu não quero ir dar meu primeiro beijo como uma idiota que não sabe de nada. Depois o menino vai sair espalhando por ai que eu não sei beijar, e nenhum menino vai querer mais me beijar :/
Anahí: - Rindo. – Dulce, eu também tava com esse medo, de não saber fazer nada na hora. E eu não tive a sua vantagem, de ter alguém que já beijou pra me dizer como é. E mesmo assim se saiu tudo perfeito. Sabe, eu achava que não sabia absolutamente nada sobre beijo, que ia pagar o maior mico lá e que Paulinho ia ficar rindo de mim, e tava com medo disso. Mas ai na hora, sei nem explicar, simplesmente aconteceu. E quando eu percebi, já estava lá, beijando. E eu descobri que eu sabia beijar. Eu sabia o que fazer, não estava perdida. Acho que essa é uma coisa que todos nós já nascemos sabendo, e só descobrimos que sabemos quando chega a hora.
Dulce: Será que comigo vai ser assim também?
Anahí: Só há um jeito de descobrir. – Olhando pra Dulce com um sorriso safado. –
Dulce: Ah, não Annie! Eu já te disse, não vou ficar com o amigo do Paulinho.
Anahí: Poxa Dulce, nós poderíamos sair juntos, os dois casais *-*
Dulce: Não Annie, eu já disse que não.
Anahí: Mas por que, sua boba?
Dulce: Você sabe muito bem por que. Christopher. Essa é a minha razão! :$
Anahí: Ah Dulce, sai dessa, poxa. Você sabe que jamais vai haver NADA entre você e o meu irmão!

Infelizmente, Annie tem razão. O irmão dela, Christopher, nunca olharia pra mim. Afinal, ele já tem 16 anos. Me diz, qual o menino de 16 anos que beija uma menina de 13? E uma menina BV ainda por cima. Isso nunca vai acontecer.

Dulce: Eu sei Annie. Mas eu nunca conseguiria ficar com algum menino que eu não amo. Beijar alguém e pensar em Christopher :/
Anahí: Então você vai morrer BV?
Dulce: Não! Apenas vou esperar, tentar esquecer essa paixonite que to pelo seu irmão, e ai quando eu não o amar mais, eu beijo outro cara.
Anahí: Poxa, isso pode demorar muito, Dul!
Dulce: Não é só porque você perdeu o BV hoje que eu tenho que perder ainda essa semana, Anahí. E daí que demore? Eu não tenho pressa não.
Anahí: Tá certo então, se você quer assim...
Dulce: Mas me conta, vocês se beijaram, e...
Anahí: - Sorrindo feito uma boba ao lembrar-se de sua história. – Ah, conversamos mais um pouco, nos beijamos mais um pouco, e conversamos e nos beijamos, até eu ver que já tava na hora de ir embora, ai ele marcou pra ir comigo no cinema esse sábado.
Dulce: Poxa, e você nem vai né?
Anahí: Tá louca Dulce María? É claro que eu vou.
Dulce: Louca tá você! Sua mãe nunca vai deixar.
Anahí: Minha mãe não me deixa ir ao cinema com um garoto, mas deixa eu ir com você!
Dulce: Você vai mentir pra sua mãe? Poxa, ela pode ligar pra minha mãe e acabar descobrindo que eu não fui pra o cinema e...
Anahí: Mas você vai comigo Dul.
Dulce: Segurar vela sua e de Paulinho? NUNCA!
Anahí: Poxa Dulce, é uma ótima oportunidade pra vocês se conheceram, pensa bem, se eu for namorar com ele, eu vou querer que minha melhor amiga se dê bem com meu namorado, né?
Dulce: E quando vocês tiverem lá se beijando? Eu vou ficar sozinha, olhando? Muito linda vai ser a cena né?
Anahí: A gente chama uma das meninas lá da sala pra irem também e te fazerem companhia.
Dulce: Tá certo. Chama a Luíza então, tá? Ela é legalzinha e não é fofoqueira.
Anahí: Certo então. – Alguém bate na porta. -
Dulce: Quem é?
XXXXX: Dulxe, xou eu! Poxo entar?
Anahí: AAAAAAA TITAAA, pode entrar sim amoor *-*
Dulce: - Cochichando. – Droga Anahí, ela não pode entrar, estamos conversando sobre algo importante.
Anahí: Mas eu to com saudades dela, Dul. Deixa de ser chata. – Vai até a porta, abre, e encontra a pequenina irmã de Dulce, parada atrás da porta. –
Anahí: TIIIIIIITA! – Abraçando-a. – Que saudades de você, gatinha *-*
Maite: Eu tembém tava cum xaudadex de voxê Annie! – Retribuindo o abraço. –
Dulce: - Irritada. – Fala direito Maite. Você não tem mais seis anos de idade, tem dez, já tá bom de parar de falar feito criancinha.
Maite: Maix eu xou cliança, Dulxe.
Anahí: Deixa ela Dulce. Se você tá irritada não desconta no jeito da sua irmã falar não.
Dulce: Mas ela parece que não cresce Annie. Com 10 anos nós não éramos assim! Nem com quatro anos nós falávamos desse jeito.
Anahí: Ela vai crescer no tempo certo, Dulce. Relaxa.
Maite: Quer brincar comigo Annie?
Anahí: Só se você me deixar ser a Barbie do vestido rosa.
Maite: Tá certo então. Vamos pro meu quarto *-*

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Esto adorando ler esse conto, estou seguindo, beijos ;DD

    www.tudocomcaprichoo.blogspot.com
    www.queriaserescritora.blogspot.com
    Twitter, fallow me : @karendayse

    ResponderExcluir
  2. ain isso me lembra qnd tinha 14 anos.
    Eu adorava escrever uma web novela no estilo rbd.
    :*

    ResponderExcluir
  3. Camila, OOOUN sinto-me honrrada amor! rs

    ResponderExcluir
  4. Karen Dayse, amor, já te sigo no twitter, ok? rs vou seguir o blog tbm :) e isso nao é um conto, é uma web novela! rs :)

    ResponderExcluir
  5. Vanessa Monique, sim, eu sou APAIXONADA por escrever web novelas de RBD rs.

    ResponderExcluir

Se você gostou do post, comenta! Vou adorar saber o que você achou.
Assim que puder responderei seu comentário, e se você deixar o link do seu blog irei retribuir a visita. Obrigada, e volte sempre!

Beijos, Anna